Estudos, Todos

Mercado global de artigos e experiências de luxo alcança 1,2 trilhão de euros em 2017

Segundo estudo da Bain & Company, o mercado do luxo volta a crescer após um ano de estagnação em vista do consumo local e compras turísticas. Com o crescimento de 5%, o luxo está de volta, alcançando, assim, 1,2 trilhão de euros em 2017.

As vendas de carros impulsionaram o mercado com 6% de aumento, resultando em 489 bilhões de euros. As experiências de luxo também cresceram 6% em relação ao ano anterior, e as vendas de cruzeiros de luxo tiveram aumento anual de 14%.

A alta de 262 bilhões de euros do mercado de bens de luxo pessoal ocorreu devido ao retorno das compras na China e das realizadas pelos chineses no exterior, assim como em vista de compras em outras regiões.

A Europa, por exemplo, retoma a posição de principal região em vendas de bens de luxo por valor, um aumento de 6%, alcançando 87 bilhões de euros em vendas no varejo.

Reino Unido, Espanha, França e Alemanha aparecem como alguns dos destaques quando o assunto é fluxo turístico aquecido. Só as compras por parte dos chineses em outros países somaram 32%.

Na China, as vendas aumentaram 15%. O Japão também mostrou crescimento favorável de 4%, movimentando 22 bilhões de euros em 2017.

Os mercados norte-americano e sul-americano têm enfrentado dificuldades, porém encerraram o ano com um crescimento de 2%, alcançando os 84 bilhões de euros. Canadá e México estão entre os mercados mais positivos.

+ Atualmente, quem são os clientes do luxo e o que estão comprando?

Gabriele Zucarelli, sócio da Bain & Company, afirma: “a forma de pensar dos millennials está permeando a indústria do luxo e alterando os hábitos de compra de todas as gerações. A mudança de mentalidade está forçando marcas a redefinirem o que entregam aos clientes e como entregam”.

Isto é, grandes marcas estão tentando atrair consumidores mais jovens com novidades em produtos. Sapatos, joias e bolsas aparecem como categorias de crescimento mais acelerado em 2017.

Vestuário, beleza e relógios continuam representando a maior parte do mercado. No ano passado, 85% do crescimento desse mercado foi alimentado pelas gerações Y e Z.

+ Como os clientes compram o luxo?

Em 2017, o varejo cresceu 8%, enquanto o atacado apenas 3%. As vendas online deram um salto de 24%, e os Estados Unidos representam cerca de metade das vendas, que alcançaram 23 bilhões de euros.

Mas, as vendas online também cresceram de maneira impressionante na Europa e Ásia. Os acessórios, por exemplo, são a categoria mais vendida.

Os próprios sites de marcas de luxo já representam 31% das vendas nos dias atuais. Estima-se que até 2025, as vendas online representem 25% do mercado do luxo.

+ O futuro do luxo

De acordo com o estudo, o mercado de bens de luxo pessoal alcançará os 305 bilhões de euros até 2020, com taxa de crescimento anual entre 4% e 5%.

Desenvolver relações individuais com gerações mais jovens, consumidores locais e turistas, assim como a personalização de produtos e serviços são algumas das dicas para as marcas se darem bem de hoje em diante.

Fonte: Bain & Company Luxury Study – imagens: divulgação (22/01/2018)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *